Skip to content

Áustria, Polônia, Hungria e Chipre mobilizam centenas de policiais para fronteira greco-turca

A Áustria e a Polônia concordaram em enviar dezenas de policiais para ajudar colegas no norte da Grécia a manter segura a fronteira greco-turca contra um afluxo de dezenas de milhares de migrantes, enviados pela Turquia a cruzar a fronteira com União Européia.

Medidas servirão para conter não somente a invasão migratoria mas também a possibilidade de um desastre sanitário devido as suspeitas de migrantes portarem diversos outros tipos de doenças infecto-contagiosas trazidas do Oriente Médio e Africa.

A Polônia já concordou em enviar 100 policiais para a região fronteiriça de Evros, no nordeste da Grécia, e está disposta a enviar mais se Atenas solicitar. Um acordo semelhante também foi assinado com o governo austríaco, com 130 policiais especiais que deverão chegar a Evros nos próximos dias.

Enquanto isso, o primeiro-ministro Kyriakos Mitsotakis deve se reunir em Viena na terça-feira com o chanceler austríaco Sebastian Kurz, que está buscando o apoio dos líderes da UE. Ele estava em Berlim na segunda-feira, onde conversou com a chanceler alemã Angela Merkel.

Chipre também enviou assistência sob a forma de 122 policiais, enquanto a agência europeia de gerenciamento de fronteiras, Frontex, supervisionará uma força de 100 guardas de fronteira de diferentes Estados-Membros.

 

Confrontos entre migrantes e a polícia grega do lado de fora de um campo no norte da Grécia se tornaram rotina cansativa para os policias gregos, que jà beiram a exaustão. (Foto AP / Giannis Papanikos)

A Hungria protegerá suas fronteiras “sob todas as circunstâncias”

A Hungria protegerá suas fronteiras “sob todas as circunstâncias” e não permitirá a entrada de migrantes ilegais, disse o ministro das Relações Exteriores Peter Szijjarto após conversas com o ministro do Interior sérvio Nebojsa Stefanovic em Belgrado na segunda-feira.

Enquanto isso, a Áustria envia unidades policiais para a fronteira húngara-sérvia e a Hungria envia unidades policiais para a Macedônia do Norte e a Sérvia.

“Para nós, a segurança do país e do povo húngaro vem em primeiro lugar”, disse ele. As conversas se concentraram na proteção de fronteiras, bem como na situação na Turquia e na Síria, disse Szijjarto. Ele disse que os desenvolvimentos na fronteira Turquia-Grécia eram preocupantes e sugeriu que centenas de milhares de migrantes poderiam chegar em breve aos Balcãs Ocidentais.

Szijjarto disse que telefonou para seu colega grego e garantiu à Grécia o apoio da Hungria. “A Hungria sabe como é quando as fronteiras do país estão sob um ataque organizado … enquanto a mídia liberal internacional produz notícias falsas”.

A situação atual também destaca a importância da integração européia dos Balcãs Ocidentais, disse Szijjarto, argumentando que ” quanto mais linhas de defesa do sul da Europa forem, melhor” . Ele instou a UE a acelerar suas negociações de adesão com a Sérvia, dizendo que o país estava pronto para abrir cinco novos capítulos nessas negociações. Szijjarto exortou a Presidência croata da UE a dar o seu consentimento às negociações de adesão.

Szijjarto também conversou com o ministro de Assuntos Europeus da Sérvia, Jadranka Joksimovic. Em uma coletiva de imprensa conjunta após as negociações, os dois ministros falaram muito sobre laços bilaterais, tanto em termos políticos quanto econômicos, e chamaram a Hungria e os parceiros estratégicos da Sérvia. Joksimovic também agradeceu à Hungria por seu apoio contínuo aos esforços de seu país para ingressar na UE.

https://www.kormany.hu/en/news/the-government-is-taking-the-people-s-security-seriously

Aumento maciço na migração ilegal desde 1º de janeiro

O número de tentativas de entrada ilegal nas fronteiras do sul da Hungria mostrou um aumento maciço nos primeiros dois meses do ano, disse Gyorgy Bakondi, consultor chefe de segurança do primeiro-ministro, na segunda-feira.

Bakondi disse que 16.597 pessoas foram presas na fronteira Hungria-Sérvia desde 1º de janeiro, em comparação com 11.315 no mesmo período de 2018 e 11.534 no ano passado.

Hungria envia unidades policiais para a Sérvia, Macedônia do Norte

A Hungria enviou novos contingentes policiais para ajudar as forças locais a patrulhar as fronteiras na Sérvia e no norte da Macedônia, informou a polícia nacional na segunda-feira. A sede da polícia nacional enviou um contingente de 30 pessoas para a Macedônia do Norte e uma unidade de 20 membros para a Sérvia. Os policiais terão a tarefa de patrulhar as fronteiras dos dois países e ajudar a prender pessoas contrabandistas e migrantes ilegais, informou a polícia em seu site. Alguns dos oficiais húngaros serão destacados nas partes internas dos dois países.

Áustria enviará policiais para a fronteira Hungria-Sérvia

A Áustria está enviando 121 policiais e dois cães policiais para servir na fronteira Hungria-Sérvia em apoio à luta contra a migração da Hungria, os ministros do Interior Sandor Pinter, da Hungria, e Karl Nehammer, da Áustria, concordaram em Nickelsdorf, perto da fronteira entre a Hungria e a Áustria. Após a reunião, Nehammer disse que a Áustria também apoiará a Grécia e os países na rota de migração dos Balcãs. As forças austríacas serviram na fronteira sul da Hungria durante a crise migratória de 2015, protegendo a Hungria e a Áustria, observou Nehammer.

Uma crise migratória como a de 2015 “deve ser evitada” , disse ele, acrescentando que as autoridades austríacas estão muito melhor preparadas do que estavam na época. Reagindo ao anúncio do presidente turco Recep Tayyip Erdogan de que a Turquia não reteria mais migrantes da Síria a caminho da Europa, Nehammer disse que a Turquia deve honrar seu acordo com a União Europeia. “A UE, a Áustria e a Hungria não permitirão ser chantageadas” , disse ele.

  • Com informações Reuters, AFP, France 24, Voice of Europe via redação Orbis Defense Europe.


Source: DefesaTV