Centro de Operações de Paz de Caráter Naval realiza seminário internacional e lança livro sobre a MINUSTAH - Geopolítica MundialGeopolítica Mundial
[email protected]+55 (61) 99682-6245 facebook

logo

publicado em:6/11/19 10:05 AM por: marcelo_mb_rj Notícias
A Marinha do Brasil e a Organização das Nações Unidas, por meio do Comando-Geral do Corpo de Fuzileiros Navais e do Centro de Operações de Paz de Caráter Naval, realizaram, no dia 31 de outubro, o Seminário Internacional de Operações de Paz de Caráter Naval.
O evento reuniu mais de 600 civis e militares no Centro de Instrução Almirante Sylvio de Camargo, na Ilha do Governador, no Rio de Janeiro-RJ. O objetivo foi debater ideias, compartilhar experiências e boas práticas no âmbito das operações de paz, bem como propor soluções para problemas enfrentados em um cenário tão complexo como o marítimo.
O seminário foi dividido em três painéis, apresentados por especialistas brasileiros e estrangeiros, com os temas: “Ameaças assimétricas no ambiente marítimo e peacekeeping”; “Operações de paz de caráter naval: vencendo os desafios de manter a paz no mar”; e “Operações de paz de caráter naval: treinando e ensinando a paz no mar”, seguidos de debates. Ao final de cada painel, os participantes puderam interagir com os palestrantes por meio de um sistema eletrônico.
O Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Ilques Barbosa Junior, realizou a abertura do evento e, ao final de seu discurso, recebeu das mãos do Comandante-Geral do Corpo de Fuzileiros Navais, Almirante de Esquadra (FN) Alexandre José Barreto de Mattos, um exemplar do livro “13 anos do Brasil na A Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (MINUSTAH): lições aprendidas e novas perspectivas”, cujo lançamento foi feito na mesma ocasião.
O Seminário Internacional de Operações de Paz de Caráter Naval também contou com uma demonstração operativa, envolvendo meios como helicóptero e embarcações. Uma militar participou da simulação de abordagem à embarcação suspeita e resgate de refugiados, a fim de configurar a crescente presença de mulheres nas missões de paz.




Comentários



Adicionar Comentário