[email protected]+55 (61) 99682-6245 facebook

logo

publicado em:2/08/19 7:30 AM por: marcelo_mb_rj Notícias

Chamas já devastaram uma área de quase 3 milhões de hectares na Sibéria; Greenpeace alerta para ‘catástrofe ecológica’
Enquanto moradores de cidades na região da Sibéria lutam contra os efeitos da fumaça dos incêndios florestais, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, ordenou que forças militares reforcem os esforços para combater o fogo que está devastando a região.

Aeronave IL-76 configurada para combate à incêndios. Imagem via Russia TV.

“Os militares serão envolvidos nos trabalhos de extinção dos incêndios siberianos”, anunciaram autoridades do Kremlin nesta quarta-feira (31/07). Putin ordenou o reforço depois de ler o relatório do ministro de Emergências, Evgueni Zinichev, sobre a situação.

Como resposta às ordens de Putin, o Ministério da Defesa anunciou o envio de 10 aviões IL-76 e 10 helicópteros “com equipamento especial para lançar água” sobre os incêndios de Krasnoyarsk, na Sibéria.

Segundo o Serviço de Proteção Florestal da Rússia, há 147 focos de incêndios na região, sendo que 32 foram extintos nas últimas 24 horas. As chamas já devastaram uma área de quase 3 milhões de hectares. A região de Irkutsk é a mais afetada pelo fogo. Mais de 2,7 pessoas participam dos esforços para conter as chamas.

Photo de NIKOLAI CHEVTCHENKO via Russia Beyond.

O Serviço de Proteção Florestal afirmou ainda que outros 321 incêndios em áreas remotas e de difícil acesso estão sendo apenas monitorados e não combatidos, por não ameaçarem centros populacionais e objetos econômicos. “As perdas projetadas no combate a esses incêndios superam seu potencial de danos”, acrescentou a agência.

Especialistas alertam, no entanto, que o dano causado pelos incêndios vai muito além da questão financeira. O Greenpeace afirmou que a situação é uma “catástrofe ecológica” e teme que isso impacte ainda mais no clima, acelerando o aquecimento global.

A Organização Meteorológica Mundial (OMM) fez um alerta para o círculo vicioso dos incêndios na região. “Tudo começou porque estava muito quente e seco. O fogo libera gases diversos, que derrete a neve, que por sua vez aumentam as temperaturas”, disse Oxana Tarasova, da OMM, à DW.

Entre as causas dos incêndios estão as tempestades secas e um calor “anormal” de 30°C, que foram propagadas por ventos fortes, afetando regiões vizinhas, segundo o Serviço de Proteção Florestal, porém investigações estão em curso para a possibilidade de ações criminosas de piromanìacos ou até mesmo terrorismo ambiental, jàa que na Europa ocidental muitos incêndios foram iniciados de forma criminosa em temporadas recentes.

Com informações da Russia Television, Deustche Welle via redação Orbis Defense Europe.

O post Forças Armadas em ação contra incêndios florestais na Rússia apareceu primeiro em DEFESA TV.


Source: DefesaTV





Comentários



Adicionar Comentário