Presidente da Turquia critica Israel e apela à muçulmanos que se unam contra o Ocidente - Geopolítica MundialGeopolítica Mundial
[email protected]+55 (61) 99682-6245 facebook

logo

publicado em:10/12/19 8:52 PM por: marcelo_mb_rj Notícias

Em discurso no encontro da Organização de Cooperação Islâmica, o presidente da Turquia , Recep Tayyip Erdogan, criticou Israel e pediu a unidade islâmica entre os “irmãos e irmãs” para enfrentar o Ocidente e as conspirações contra os países islâmicos. Ancara alegou que é a “voz solitária” que está se levantando para os palestinos hoje.

https://platform.twitter.com/widgets.js

Entre diversos insultos e calùnias contra nações do ocidente, feitos durante o evento, o presidente turco reinterou suas ameaças de enviar milhões de imigrantes para desestabilizar a Europa, em especial a Grécia, paìs vizinho com o qual a Turquia mantém atritos a décadas, afirmou que vai continuar suas ações militares na Siria, à revelia do que a OTAN tente regular.

O governante da Turquia insinuou que a Turquia foi vítima de “ataques terroristas” por causa de sua “posição de princípios” contra a “opressão em Jerusalém”.

Ancara alegou que é a “voz solitária” que está se levantando para os palestinos hoje. A Turquia mantém relações calorosas com o Hamas. O membro do Hamas, Saleh Arouri, chegou à Turquia no domingo.

https://platform.twitter.com/widgets.js

Ele foi acusado de envolvimento em seqüestro, assassinato e outras formas de terrorismo em 2014. Ismail Haniyeh, do Hamas, também veio à Turquia com Arouri e Moussa Abu Marzouk e outros como parte de uma grande delegação. Ancara pediu à OTAN que condene o terrorismo, mas hospeda o Hamas.

Erdogan afirmou que Israel estava piorando a “situação em Jerusalém e na Palestina” todos os dias. Ele disse que Israel não reconhece justiça, lei, direitos ou humanidade e que isso “aprofunda a crise na região contra os muçulmanos”.

https://platform.twitter.com/widgets.js

A Turquia está tentando defender os países islâmicos contra Israel, afirmou Ankara. “Nunca pararemos de defender os direitos dos palestinos e de solidariedade com todos os oprimidos.” A Turquia está envolvida em uma campanha militar em expansão e ocupação do norte da Síria, que levou mais de 150.000 pessoas a fugir de Afrin em 2018 e 200.000 a fugir de áreas próximas a Tel Abyad nos últimos meses. A Turquia não vê essas pessoas oprimidas, de acordo com o discurso.

O líder da Turquia afirmou que o país quer “proteger melhor crianças, mulheres, idosos e deficientes contra ameaças ocidentais”. Nesta parte do discurso, ele enfatizou temas conservadores, de extrema direita e de valor familiar, argumentando que o Ocidente estava atacando o conceito de a família. “Quanto mais protegemos nossa estrutura familiar”, disse o líder da Turquia, indicando que:

“Nunca deixaremos de defender os direitos dos palestinos e de solidariedade com todos os oprimidos”, afirmou.

Erdogan disse que a abordagem imperialista de dividir, desintegrar e governar continua nos países islâmicos.

“Quanto melhor protegemos crianças, mulheres, idosos e deficientes contra ameaças ocidentais, mais protegemos nossa estrutura familiar”, disse ele, argumentando que os imperialistas ocidentais estavam procurando dividir e governar o mundo islâmico, de acordo com a versão do discurso de Anadolu. Erdogan também afirmou que os muçulmanos são um quarto do mundo, mas estão isolados e que os muçulmanos devem se unir para pressionar sua influência política e “proezas culturais” para levar a civilização islâmica ao seu “lugar de direito”.

Recentemente, Erdogan inaugurou uma mesquita no Reino Unido para mostrar sua devoção a essas causas.

Hurriyet informou que Erdogan disse que os países muçulmanos deveriam trabalhar juntos para combater a pobreza, mas era um desafio “, o que significa que 350 milhões de irmãos e irmãs estão tentando manter a vida no nível de pobreza”.

Erdogan disse então que o país muçulmano mais rico, provavelmente um dos que estão no Golfo é 200 vezes mais rico que os mais pobres. Ele encorajou mais caridade islâmica. A Turquia é um importante aliado do Catar, um país que pode precisar dar mais caridade do que tem sido. O Catar foi acusado de explorar trabalhadores e pagar baixos salários a estrangeiros pobres que vêm trabalhar na construção, mas não têm direitos básicos em Doha.

O discurso de Erdogan foi uma maneira de Ancara se consolidar como um campeão global de causas islâmicas. Recentemente, a Turquia falou sobre Caxemira e muçulmanos na China e também tentou reunir países em torno de Jerusalém para se opor às políticas do presidente dos EUA, Donald Trump, e às políticas de Israel.

Até agora, a tentativa da Turquia de se tornar um novo líder islâmico global não se concretizou. A Turquia, no entanto, tenta trabalhar com a Malásia, o Paquistão e alguns outros países que estão se tornando mais nacionalistas, de extrema direita e conservadores, buscando criar uma frente do Islã político, muitas vezes ligada à Irmandade Muçulmana e ao Hamas, como parte de uma agenda maior.

O atual partido no poder da Turquia se vê como um modelo econômico para outros países e busca expandir seu poder na Síria, Iraque e outros países, enquanto trabalha com o Irã e a Rússia.

Com informações do Jerausalén Post e Anadolu news Agency via redação Orbis Defense Europe.

O post Presidente da Turquia critica Israel e apela à muçulmanos que se unam contra o Ocidente apareceu primeiro em DEFESA TV.


Source: DefesaTV





Comentários



Adicionar Comentário