Skip to content

Presidente Trump quer empregar tropas federais para conter violência de grupos anarquistas

O Presidente Donald Trump prometeu na segunda-feira mobilizar tropas de serviço ativo para lidar com crescentes atos de terrorismo anarquista (Antifas) em todo o país, com ou sem o consentimento de autoridades locais.

“Hoje eu recomendo fortemente a todos os governadores que mobilizem a Guarda Nacional em número suficiente para dominarmos as ruas”, declarou o Presidente Trump em um discurso nacional do Jardim de Rosas da Casa Branca. “Prefeitos e governadores devem estabelecer uma presença esmagadora da aplicação da lei até que a violência acabe.

“Se uma cidade ou um estado se recusar a tomar as ações necessárias para defender a vida e a propriedade de seus residentes, implantarei as forças armadas dos Estados Unidos e rapidamente resolverei o problema”.

Unidades da Força de Resposta Imediata da 82ª Divisão Aerotransportada, normalmente estacionada em Fort Bragg, na Carolina do Norte, também devem se deslocar para Washington na terça-feira, segundo três funcionários do Departamento de Defesa que falaram com a Associated Press sob condição de anonimato.

Quando Trump proferiu suas declarações, centenas de manifestantes do lado de fora dos portões da Casa Branca gritaram “George Floyd”, o nome do homem afro-americano morto sob custódia policial na semana passada, cuja morte suspeita provocou o movimento atual, enquanto os policiais locais usavam gás lacrimogêneo e balas de borracha na tentativa de conter os depredadores.

Em suas breves observações, Trump reconheceu a morte de Floyd e prometeu que “a justiça será servida e ele não terá morrido em vão”.
“Estes não são atos de protesto pacífico, são atos de terror doméstico”, Ele também prometeu usar “todos os recursos federais disponíveis, civis e militares, para interromper os tumultos e saques”.disse ele.

Mas ele também atribuiu a crescente inquietação nacional a “anarquistas profissionais, multidões violentas, incendiários, saqueadores, criminosos e manifestantes” e prometeu que essas forças maliciosas não receberiam o reinado livre das ruas dos Estados Unidos.

Na noite de domingo, vários marcos históricos foram vandalizados e incendiados, enquanto os protestos passavam de manifestações pacíficas para explosões violentas. As janelas da sede do Departamento de Assuntos dos Veteranos, localizadas a cerca de um quarteirão da Casa Branca, foram quebradas por projéteis e placas ao redor do prédio desfiguradas com palavrões e retórica anti-Trump.

No início do dia, vários parlamentares republicanos instaram a Casa Branca a lidar com os problemas de protesto, invocando a Lei da Insurreição , que permite ao presidente ativar tropas federais durante emergências para executar determinadas tarefas de aplicação da lei, com ou sem a solicitação de um governador.

Mais de 17.000 soldados da Guarda Nacional já foram convocados em 23 estados e no Distrito de Columbia para ajudar na segurança e controle de multidões relacionados aos protestos.

Antes disso, mais de 46.000 guardas haviam sido ativados para ajudar na resposta dos estados à pandemia de coronavírus.

No início do dia, em uma teleconferência com os governadores, Trump criticou a resposta de muitos estados aos protestos como “fraca” e insuficiente. Ele prometeu “dominar” a rua com as tropas da Guarda Nacional.

As autoridades da Casa Branca não forneceram imediatamente detalhes do que incluiria a mobilização da ativa. Autoridades do Pentágono nos últimos dias alertaram certas unidades para se prepararem para possíveis mobilizações domésticas.

  • Com infomações do DoD – Departement of Defense, Marine Times & Military Times via redação Orbis Defense Europe.


Source: DefesaTV